Junho
especial
Meio Ambinete

sábados de junho às 14h
online e gratuito

APRESENTAção

A proposta do Cine Clube Pupilo prevê a curadoria de filmes, por grupos de professores, que mensalmente selecionam filmes nacionais para a sessão e provocam um debate  sob a ótica pedagógica dos filmes em sala de aula, envolvendo os estudantes das mais diferentes faixas etárias.

Ao todo serão por volta de 15 filmes distribuídos em quatro sessões por mês. 

Todos os sábados de junho vamos falar sobre la madre naturaleza, através de filmes e suas propostas pedagógicas em sala de aula. 

12/06
Vamos conversar sobre crimes ambientais no Brasil como o rompimento das barragens em Brumadinho e Mariana, as queimadas na Amazônia e os vazamentos de óleo no Nordeste.

19/06
Sessão dedicada a água. Quais as consequências das canalizações dos rios urbanos e da poluição de plásticos nos mares?

26/06
Sessão dedicada à alimentação e às agroflorestas. Quais as alternativas para a monocultura? Como as agroflorestas contribuem para o desenvolvimento sustentável?

PROGRAMAçÃO

o velho o mar e o lago camilo cavalcante

O Velho, O Mar e o Lago

2000 • preto e branco • 35mm / 21 min. • Ficção • Todas as Idades
Direção: Camilo Cavalcanti

O velho somos todos nós
O mar é a vida 
O lago, a solidão

A Menina Do Mar

2010 • cor • digital / 14 min. • Documentário • 10 anos
Direção: Mauro D’addio

Em uma pequena comunidade de pescadores, todos são pegos de surpresa ao fisgarem uma estranha menina no mar.

Amazônia 4.0 the Reset Begins

2020 • cor • digital / 29 min. • Documentário • Todas as idades
Direção: Alan Teixeira

Durante décadas, o debate sobre o desenvolvimento da Amazônia se dividiu entre duas visões opostas sobre o uso da terra: de um lado a visão de reservar grandes extensões das florestas para fins de conservação da biodiversidade, denominada “Primeira Via”. Do outro lado, a visão de desenvolvimento baseado na exploração intensiva dos recursos naturais, principalmente através de agropecuária, energia e mineração, denominada “Segunda Via”. A Iniciativa “Terceira Via Amazônica” propõe criar uma alternativa inovadora a essas visões opostas. Com a estratégia de implementação chamada Amazônia 4.0, esta iniciativa “disruptiva” foi concebida com vistas a novas oportunidades de pesquisa, tecnologia e aprendizado para valorizar e proteger os ecossistemas amazônicos e para servir igualmente aos interesses das populações locais, povos indígenas e tradicionais, que são seus mantenedores. Ela visa o desenvolvimento de uma “economia verde”, equitativa e socialmente inclusiva, orientada para a biodiversidade, aproveitando o valor da natureza através de produtos sustentáveis das florestas tropicais em pé, com rios que fluem.

À Espera de uma Decisão

2011 • cor • digital / 13 min. • Documentário • Todas as idades
Direção: Vinicius Ferreira

Após um vazamento de petróleo na baía de Paranaguá em 2001, os pescadores do litoral paranaense tentam sobreviver da pesca, sua única fonte de renda.

Recomeço Brumadinho

2020 • cor • digital / 31 min. • documentário • Todas as idades
Direção: Cristiano Trad e Nathália Marçal

O rompimento da barragem do Córrego do Feijão, controlada pela Vale S.A, em Brumadinho, no dia 25/01/2019, deixou centenas de mortos e afetou a vida de milhares. A Associação das Defensoras e dos Defensores Públicos de Minas Gerais (ADEP-MG) apresenta o documentário “Recomeço Brumadinho”. O filme mostra histórias de sobreviventes da tragédia que, com o apoio da Defensoria Pública, estão recomeçando suas vidas com segurança. O documentário é uma realização ADEP-MG, com apoio da Defensoria Pública e produção da Árvore Filmes.

Para onde foram as andorinhas?

2015 • cor • digital / 22 min. • Documentário • Todas as idades
Direção: Mari Corrêa
Roteiro: Paulo Junqueira e Mari Corrêa
Coprodução: Instituto Catitu e Instituto Socioambiental

O clima está mudando, o calor aumentando. Os índios do Xingu observam os sinais que estão por toda parte. Árvores não florescem mais, o fogo se alastra queimando a floresta, cigarras não cantam mais anunciando a chuva porque o calor cozinhou seus ovos. Os frutos da roça estão se estragando antes de crescer. Ao olhar os efeitos devastadores dessas mudanças, eles se perguntam como será o futuro de seus netos.

O Instituto Catitu – Aldeia em Cena é uma organização sem fins lucrativos que oferece aos povos indígenas novas possibilidades de expressão, transmissão e compartilhamento de suas visões de mundo e de seus conhecimentos.

Xupapoynãg

2012 • cor • digital / 15 min. • Documentário • Todas as idades
Diretor: Isael Maxakali
Roteiro: Isael Maxakali
Produtora: Pajé Filmes

As lontras invadem a aldeia para vingar a exploração e morte de seus parentes, caçados e devorados pelos humanos. Cabe às mulheres travar uma batalha para expulsar os invasores. 

Produção de filmes documentários e de animação. Realização da Mostra Pajé de Filmes Indígenas.

Sou Maraguá

2018 • cor • digital / 4 min. • Videoclipe • Todas as idades
Filmagens: Flora Suzuki e Simon Knoop

Videoclipe da música “Sou Maraguá”, de Everaldo Ape, feito a partir de imagens gravadas durante oficinas de audiovisual com o povo Maraguá, nas aldeias Kayauézinho e Terra Preta, no Amazonas.

INSCREVA-SE

cinema é educação

Conheça as curadoras do mês de junho.

O Projeto Freire surgiu como uma das frentes do Comitê Estudantil de Apoio Popular (CEAP). Somos estudantes de Pedagogia na Universidade Federal do Paraná, e voluntárias de outras áreas, que juntamente decidiram dialogar com a comunidade acerca da Infância e Educação.

O objetivo é criar conteúdos acessíveis para famílias que estão vivenciando o Ensino Remoto Emergencial, principalmente de escolas públicas, por meio de textos, dicas e materiais.

Lucia Guerra

curadora

Cursando quinto ano de Pedagogia pela UFPR. Ativista em defesa dos direitos humanos. Atualmente trabalha como profissional de apoio a inclusão na rede pública de ensino.

Georgia Catherine Sartor

curadora

Estudante do 5º ano de Pedagogia na UFPR e entusiasta dos diálogos entre Educação, Neurociências e Direitos Humanos.

Beatriz Mandarino

CURADORA

Estudante de Pedagogia na UFPR, cursando o 4° ano da graduação. Trabalha em uma escola de rede privada, principalmente com Educação Infantil. 

Clara Lua

curadora

Olá! Meu nome é  Clara Lua, sou graduanda em Filosofia Licenciatura e Bacharelado pela UFPR, cineasta com formação pela Hollywood Film Academy em diversas áreas do cinema e fotógrafa autônoma. 

o que é?

POR UMA EDUCAÇÃO AUDIOVISUAL NA ESCOLA

Online e gratuito, o cineclube pupilo promove sessões de curtas-metragens brasileiros dedicadas a educadores interessados em utilizar filmes durante as aulas remotas e presenciais.

Todo o mês convidamos um grupo de professores para selecionar filmes e debatê-los online a partir da ótica de sala de aula.

Quais discussões e atividades os filmes brasileiros podem iniciar com os estudantes de diferentes faixa etárias?

FAÇA PARTE!

SEJA UMA CURADORA

Indique filmes e faça parte dos grupos de programação das próximas sessões.

não fique de fora

Se inscreva no evento e faça parte da Comunidade Pupilo

GRátis

Compartilhe